Atividades do Samu na Escola são retomadas

unidade_movel_samu_escolaAs aulas começaram nas escolas públicas e particulares do município e a ambulância do programa Samu na Escola já foi parar dentro das salas.

O projeto foi retomado em fevereiro, duas escolas já foram contempladas com as aulas didáticas e na próxima semana o grupo vai trabalhar na Escola Heleno Henriques. O Samu na Escola foi lançado em agosto de 2014 em Campina Grande.

Desde que foi iniciado, o programa tem conseguido reduzir o índice de trotes no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

“Nós verificamos que os trotes para o serviço vinham na maior parte de crianças e em horários que coincidiam com o intervalo das aulas escolares. Decidimos começar um trabalho de conscientização nas escolas que acabou se transformando em um grande projeto pedagógico e educativo em saúde”, frisou a coordenadora Loyane Figueiredo.

No ano de 2013, quando o serviço não existia, o Samu registrou 256 mil trotes. Em 2014, ano em que o Samu na Escola foi iniciado, o número de falsos chamados de socorro já teve uma queda para 133 mil e em 2015 as falsas ligações caíram para 69 mil. Ou seja, a cada ano o número de trotes vem caindo em média 48%.

Em todo o ano passado o Samu Mirim foi realizado em 33 escolas, sendo 30 públicas e 3 particulares e atendeu 1.300 estudantes. A ideia deu tão certo que ultrapassou os muros das escolas. Os profissionais do Núcleo de Educação Permanente – NEP do Samu-CG, que coordenam o Samuzinho, também fizeram semanas de orientação para as pessoas durante eventos realizados na cidade.

O Samu na Escola leva profissionais do Samu e estudantes de medicina, fisioterapia e enfermagem para as salas de aula para passar para estudantes e educadores noções de primeiros socorros em situações de acidentes com vítimas que tenham ferimentos, asfixia, traumatismo, queimaduras e hemorragias. Os alunos recebem também orientações de como agir em casos de engasgo, paradas cardiorrespiratórias e até de como deve ser feito o transporte dos acidentados e, claro, de como prevenir acidentes.

O objetivo é ensinar as pessoas a atuarem no socorro até a chegada da ambulância. Ao fim de cada semana de aulas teóricas e práticas na escola, uma equipe de cinco estudantes é escolhida para formar o Samuzinho da instituição, a quem as vítimas de qualquer incidente ou as pessoas que estejam passando mal devem recorrer.

Os alunos participantes são das turmas do 1º ao 9º ano com idades de 6 a 14 anos. Para atrair os estudantes, que passam a maior parte do tempo bem atentos, a equipe faz simulações de salvamento com bonecas e até veste algumas crianças com macacões dos heróis da saúde.

Uma ambulância de brinquedo vira sensação entre os pequenos e ao fim da semana, a ambulância especial do Samu Mirim é apresentada à toda a escola com todo o aparato de equipamentos.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO