Aula com Romero abre mobilização contra o mosquito da dengue nas escolas

Romero_aula_dengueOs estudantes da Escola Municipal Anésio Leão, no bairro do Monte Santo, começaram as aulas de um jeito diferente nesta quinta-feira, 10 de dezembro, ‘Dia D’ da mobilização contra o mosquito Aedes Aegypti na Rede Municipal de Educação de Campina Grande. Eles receberam a visita do prefeito Romero Rodrigues, que ministrou uma aula de prevenção contra o mosquito transmissor da Dengue, do Zika Vírus e da Febre Chikungunya. A aula com o prefeito abriu oficialmente a programação educativa contra o mosquito, realizada simultaneamente em todas as 119 escolas da Rede Municipal.

O “aulão” contra a dengue contou com a participação de mais de 20 mil estudantes, integrando turmas do 1º ao 9º ano do ensino fundamental. A meta é atingir mais de 100 casas da cidade, estimulando que cada aluno atue como multiplicador da conscientização. O aulão é uma ação integrada entre as secretarias municipais de Educação e Saúde.

Romero conversou com as crianças e pediu o empenho de todos na prevenção aos focos de reprodução do mosquito. “Cada uma dessas crianças tem um papel fundamental nessa mobilização. Além de aprenderem a evitar a presença dos focos do mosquito em casa, elas vão levar daqui tudo o que aprenderam e repassar para seus familiares e vizinhos”, pontou o prefeito.imagem

A importância do trabalho dos agentes de combates a endemias também foi destacada pelo prefeito, que ministrou a aula ao lado destes profissionais. “Quando a equipe chegar na casa de vocês com esta farda e com a identificação, deixem que eles entrem e vejam se existe algum foco do mosquito. É uma atitude simples que vai preservar a saúde de vocês”, orientou Romero. Todos os alunos receberam panfletos com orientações de prevenção.

No bairro de Santa Rosa, os estudantes da Escola Municipal Tiradentes promoveram uma caminhada pelas principais ruas da região para chamar a atenção da comunidade para a necessidade da prevenção. Lá o “aulão” começou cedo, às 7 horas, com atividades lúdicas, encenações e a apresentação de trabalhos e maquetes feitas pelos estudantes.

“Lá em casa a gente já faz a nossa parte. Mas é preciso que todo mundo participe, senão o mosquito vai continuar prejudicando a gente”, alertou a estudante Sadrina Alves, do 9º ano da Escola Tiradentes.

imagem

Cada escola municipal teve autonomia para definir as estratégias pedagógicas para a realização do aulão. A orientação, da Secretaria Municipal de Educação, é para que cada aluno fique responsável por levar as informações e os panfletos educativos para, pelo menos, mais cinco casas da área onde residam. Dessa forma eles atuariam como agentes multiplicadores.

Os alunos também vão fazer um levantamento sobre os locais com suspeita da presença de focos de reprodução do mosquito. Todas as informações serão repassadas às equipes de vigilância em saúde para colaborar com a prevenção.

A ação tem o objetivo de reforçar a prevenção ao Zika Vírus, no momento em que a doença está sendo relacionada ao aumento no número de casos de microcefalia em todo o país. Além da Zika e da Dengue, o mosquito Aedes Aegypti também é responsável pela transmissão da febre Chikungunya.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO