Barracas valorizam cultura popular para atrair público no Parque do Povo

barracas_cultura_popular

Todos os anos no Maior São João do Mundo, os mais de 200 donos de pontos de comercialização de bebidas e comidas tentam inovar e usam a criatividade para atrair o público no Parque do Povo. Na edição 2016, muitos decidiram valorizar a cultura popular como forma de envolver e chamar a atenção dos amantes das raízes culturais do nosso povo.

Na Rua Sebastião Donato, onde ficam os quiosques e os locais que comercializam caldinhos, um estabelecimento contratou uma dupla de emboladores de coco que trabalha durante as noites se apresentando entre os clientes nas mesas. Eles fazem canções de repente interagindo com os visitantes.imagem

Logo após a Pirâmide Jackson do Pandeiro, a comerciante Valquíria Jane montou uma barraca onde vende comidas e bebidas diversas com o nome do poeta Ronaldo Cunha Lima. “Desde os meus 17 anos de idade trabalho aqui no Parque do Povo e todos os anos eu exponho fotos e versos do poeta para que os clientes possam ler e desfrutar um pouco dos poemas deste escritor de Campina Grande”, disse.

Na parte inferior, a empresária Cibele Laurentino, abriu pela primeira um restaurante que mistura gastronomia gourmet com arte. O espaço tem exposição de quadros de artistas paraibanos e uma homenagem ao poeta Zé Laurentino. No local os clientes podem ler cordéis, conhecer um pouco da história do escritor e nos finais de semana o próprio Zé Laurentino está presente declamando para os visitantes.

imagem

Cibele explicou que a estratégia de valorizar a cultura popular atrai um público específico para o estabelecimento. Ela falou ainda que a organização do evento tem melhorado a cada ano. “Eu trouxe este restaurante do Conde, no Litoral Sul da Paraíba. Há 15 anos não vinha para a festa de Campina Grande e fiquei extremamente surpresa com a profissionalização do evento nestes últimos anos. Mesmo com esta crise econômica, vejo que a festa é muito bem organizada, com segurança, assistência ao turista e estou muito feliz de montar meu restaurante aqui”, disse a empresária.

Além das iniciativas particulares, a organização do Maior São João do Mundo também implementou a cultura popular na festa por meio do projeto Ônibus do Forró. A Companhia Cordel em Canto leva a recitação de poesia popular para o projeto, que também tem apresentações de pífano. Os grupos de Danças Folclóricas também participam dos espetáculos na Vila dos Tropeiros e no Teatro Municipal Severino Cabral.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO