Campanha contra hanseníase e verminose deverá atender 4 mil crianças

camp_hanseniaseFoi aberta na manhã desta segunda-feira, 26 de maio, a campanha de prevenção e combate à hanseníase e verminoses em escolas públicas de Campina Grande. A meta da Secretária de Saúde do Município é atender quatro mil crianças com idade entre cinco e 14 anos, com a realização de exames preventivos e a oferta de medicação. A mobilização vai até a próxima sexta, 30 de maio, em 28 unidades de ensino da cidade.

Quatro escolas e uma creche da rede municipal foram atendidas no primeiro dia da campanha. Cada unidade de ensino recebeu a visita de uma equipe formada por agentes comunitários de saúde, enfermeiros e um médico, responsável pela aplicação da medicação e pelo diagnóstico. O atendimento aconteceu nesta segunda nas escolas Otávio Amorim (Malvinas), Alice Gaudêncio (Castelo Branco), José Tavares (Santo Antônio), Ceai Antônio Mariz (Conjunto Ressurreição) e na creche Áurea Moura (bairro das cidades).

Cada criança passou por um exame para identificar a existência de manchas com suspeita de hanseníase e quando havia algum sinal ou mancha foi realizado o teste de sensibilidade. Em caso de diagnóstico de hanseníase, as crianças são encaminhadas para o serviço de referência, para iniciar o tratamento. Os estudantes também receberam um comprimido mastigável para o combate de infecções intestinais causadas por verminoses, conhecidas popularmente como lombriga e amarelão.

“Esta é uma campanha preventiva, que tem o objetivo de garantir o diagnóstico precoce em caso de suspeita de hanseníase e evitar casos de verminose com a medicação em dose única, protegendo a criança. Há ainda ações educativas”, explicou a coordenadora municipal de controle da hanseníase, Jane Eire Rocha. A campanha é nacional, realizada em parceria entre o Ministério da Saúde e as secretarias municipais.

A diretora da Escola Municipal Otávio Amorim, Ana Cely Alves, destacou a importância da integração entre atividades de saúde e educação. “É importante envolver a escola em campanhas de saúde porque, com o envolvimento da escola, é possível atingir um público ainda maior, que muitas vezes não tem acesso a certos procedimentos ou não sabe que tem direito a eles. A presença das equipes de Saúde da Família na escola fortalece essas ações”, afirmou a diretora.

O médico Gustavo Farias, que realizou o atendimento na escola Otávio Amorim, explicou que as famílias também devem participar da campanha, autorizando que as crianças recebam o remédio. “Só recebe o comprimido que tem autorização dos pais ou responsáveis, através de um termo assinado e entregue na escola. É preciso que as famílias se conscientizem, pois esta é uma ação preventiva que garante o diagnóstico precoce da hanseníase e a profilaxia das verminoses”, informou.

A campanha continua nesta terça-feira, 27 de maio, nas escolas municipais Luiz Cambeba (bairro das cidades), Lafayete Cavalcante (Malvinas), Dr. Chateaubriand (José Pinheiro), Santo Antônio (Bairro dos Cuités) e nas creches Maria Rosa (José Pinheiro) e Lenise Medeiros (conjunto Álvaro Gaudêncio).

ESTATÍSTICAS

Em Campina Grande foram notificados 250 casos de hanseníase entre os anos de 2011 e 2013. Desse total, apenas nove casos aconteceram com crianças na faixa etária da campanha, o que representa 3,5% dos casos. Apesar do baixo índice registrado entre crianças de cinco a 14 anos, o objetivo da campanha é fazer uma busca ativa para realizar o diagnóstico precoce e através das crianças localizar famílias que possam ter mais casos da doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO