Campina reduz distorção “idade-série” e índices de mortalidade infantil

forum-selo_unicefElaborar políticas públicas de inclusão social para crianças e adolescentes a partir de um diagnóstico dos indicadores sociais do município e com a participação da comunidade estudantil. Este foi o objetivo do I Fórum Comunitário do Selo Unicef, município aprovado edição 2013/2016, realizado nesta quarta-feira, 30 de julho. Os dados apresentados durante o encontro apontam que Campina Grande está reduzindo a distorção idade-série e diminuindo os índices de mortalidade infantil.

Foram apresentados dados referentes às áreas de educação, saúde e assistência social. As estatísticas da Secretaria de Educação do Município apontam que em 2011 o índice de distorção idade-série era de 28%, ou seja, uma em cada quatro crianças matriculadas estava com um atraso de no mínimo dois anos em relação à série correspondente à sua faixa etária. Em 2013, esse índice caiu para 19%.

Na área da saúde, também houve avanços. Campina Grande reduziu a taxa de mortalidade infantil de 20,59% em 2009 para 13,13% em 2013. Já a cobertura do Programa Saúde da Família subiu de 46,67% em 2009 para 80,5% em 2013.

Estes e outros dados foram apresentados e discutidos durante o I Fórum Comunitário do Selo Unicef, que reuniu mais de 140 crianças e adolescentes da Rede Municipal de Ensino, além de representantes de outras instituições da sociedade civil organizada, para elaborar ações e diretrizes de combate à desigualdade social entre a população infanto-juvenil. A meta é avançar ainda mais nos índices exigidos pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

“O Fórum é o espaço para promover o protagonismo juvenil e a participação coletiva na identificação de demandas e na elaboração de políticas públicas não apenas para a educação, mas também nas áreas da saúde, assistência social, cultura e lazer. Aqui os estudantes discutem os problemas e necessidades das comunidades onde vivem e participam da construção democrática de propostas de soluções”, explicou a articuladora do Selo Unicef em Campina Grande, professora Iolanda Barbosa.

 O fórum foi realizado no Museu Vivo da Ciência. Após a apresentação do diagnóstico dos indicadores sociais de Campina Grande, os estudantes se dividiram em seis grupos temáticos para aprofundar o debate sobre a redução das desigualdades relacionadas a gênero, raça e etnia, renda, condição pessoal, território e idade. À tarde, a coordenação do fórum se reuniu para discutir as propostas colhidas entre os participantes.

Para o estudante Lenildo Pereira, de 15 anos, o fórum possibilitou a oportunidade de ser ouvido pelo poder público municipal. “Foi muito importante esse fórum para que a gente pudesse expressar nossa opinião, porque só com a participação de todos é que poderemos melhorar nossa escola e construir um mundo melhor”, disse o estudante, matriculado na escola Municipal Roberto Simonsem, no bairro do São José.

Também participaram do Fórum o secretário executivo de Assistência Social do Município, Rubens Nascimento, a secretária executiva de Saúde, Eudézia Damasceno, e a diretora de Vigilância em Saúde, Eliete Nunes. O Fórum foi promovido pelo Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente de Campina Grande (CMDDCA). Houve ainda uma apresentação de hip hop com o grupo Convivência e Arte, orientado por Erick Breno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO