Campina volta a ter em março perda acentuada no repasse de FPM e Fundeb

Arrecadação é menos da metade do que foi recebido pelo município em março de 2010

Campina Grande volta a ter, neste mês de março, mais uma queda acentuada nos repasses federais, o que provoca reflexos na receita do município, que aumenta a cada mês com o crescimento vegetativo da folha, cumprimento dos pisos, dentre outros reajustes e a própria inflação.

A arrecadação de março deste ano, somando-se o Fundem e o FPM, resultaram num repasse liquido de R$ 5.083.969,26, a quantia que não atinge nem a metade dos repasses feitos no mesmo mês do ano passado, quando os fundos totalizaram R$ 11.913.400,05. Uma perda de R$ 6.014.388,93.

Para se ter uma ideia da gravidade da queda das receitas, em Campina Grande, os repasses de março de 2010, na ordem de R$ 12.613.597,49, foram mais que o dobro do que foi recolhido no mesmo mês deste ano, seis anos depois, com toda inflação e crescimento das despesas.

A instabilidade também preocupa, visto que ocorre queda de um mês para outros, tirando a previsibilidade da administração, o que prejudica o planejamento global no acompanhamento de receitas e despesas.

Além dos repasses do Fundeb e Fundo de Participação dos Municípios, as quedas também se verificam no recolhimento de ICMS, outra principal importante fonte de receita do município. O repasse do mês de março deste ano foi inferior em 0,42, com relação ao valor do mesmo mês do ano passado. Somando-se à inflação, representa queda na ordem de 11%,

Enquanto as receitas desabam, o município têm que arcar, no começo do ano, com o reajuste dos pisos de várias categorias, reajuste do salário mínimo e do todo o funcionalismo, elevando acentuadamente a folha de pagamento, que já é normalmente onerada, mês a mês, por conta do crescimento vegetativo.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO