CER prepara profissionais para iniciar atendimento a pessoas com Deficiência Intelectual

O Centro Especializado em Reabilitação (CER) de Campina Grande está promovendo a 1ª Roda de Conversas sobre Deficiência Intelectual neste sábado, 6. As palestras são de capacitação para iniciar o acompanhamento a crianças e adultos com deficiência intelectual.

Neste primeiro momento, os profissionais vão receber orientações sobre o acompanhamento às pessoas com autismo. Os trabalhadores da unidade vão receber orientações sobre como acompanhar psicologicamente as pessoas com autismo, os distúrbios comportamentais, as fobias sociais, a forma correta de agir com os autistas, os direitos assegurados a eles e todas as questões que envolvem o atendimento humanizado às pessoas com autismo.

A direção do CER já participou de treinamento na Fundação de Apoio ao Deficiente (Funad) neste mês de maio. As inscrições para novos pacientes estão sendo feitas no próprio CER, que fica na Avenida Portugal, no bairro de Bodocongó. Os interessados também tirar dúvidas pelo telefone 3333-2830.

O CER está situado onde funcionava a AACD, que foi municipalizada pela Prefeitura de Campina Grande. Com a municipalização, o Ministério da Saúde habilitou os serviços do Centro, que vai passar a atender as deficiências física, visual, auditiva e intelectual.

Desde o início de 2017, a unidade vem realizando mais de mil atendimentos e procedimentos por mês. Em 2016, quando o serviço era gerido pela AACD, a média era de 700 atendimentos e procedimentos mensais.

O CER atende crianças e adultos com deficiências crônicas ou adquiridas de 143 cidades paraibanas. Os atendimentos infantis contemplam os pacientes de lesão por AVC, doença neurológica, mielo, mal formação congênita, paralisia cerebral, poliomielite e doenças raras, como ELA, AME, e mucopolissacaridose. A clínica adulta atende lesionados por AVC, lesionados de medula e amputados.

O Centro tem atendimento de fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, assistência social, neurologia, terapeutas ocupacionais e várias outras especialidades. As pessoas com má formação congênita, doenças neurológicas e amputadas recebem órteses e próteses confeccionadas na oficina da unidade.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO