Cidade ganhará abrigo de padrão internacional para crianças e adolescentes

Ronaldinho_reuniao_ongCampina Grande tem tudo para ganhar um abrigo de padrão internacional destinado a crianças e adolescentes. Isto porque a ONG inglesa Futere Development Foundation (FDF), com atuação em vários países, pretende se instalar em área do Distrito de Galante, buscando implantar um abrigo, denominado Happy Green House (Lar Verde Feliz), cuja meta é abrigar inicialmente 20 crianças ou adolescentes, proporcionando-lhes educação, lazer, práticas esportiva e artística, além de outras ações destinadas a boa formação do cidadão.

Na manhã desta sexta-feira, 19, os representantes da FDF estiveram reunidos com o prefeito em exercício, Ronaldo Cunha Lima Filho, no Gabinete do Prefeito, quando apresentaram todo o projeto que pretendem executar em Campina Grande. A comitiva internacional foi integrada pela gerente da FDF, Faith Comnell, pelo voluntário Nicola Sobot e pelo representante da organização no Brasil, professor Lucas Santoro Gomes.

Ao apresentar o projeto, Faith Comnell destacou que a meta é proporcionar novas perspectivas de vida para crianças e adolescentes, além de ser feito um trabalho junto às suas famílias e à comunidade onde residem. Segundo ela, as experiências tem conquistado sucesso nas mais diferentes regiões do mundo, mudando a realidade das pessoas atendidas, as quais, provisoriamente, moram neste tipo de abrigo. “O objetivo, contudo, é fazer com que elas voltem ao seio familiar, mas em condições de plena formação, reintegração social ou familiar e desenvolvimento da sua cidadania”, afirmou.

Por sua vez, o prefeito em exercício, Ronaldo Filho, garantiu todo apoio à iniciativa por se tratar de uma “parceria extraordinária, pois fará em Campina Grande um trabalho pioneiro no Brasil”. Garantiu que será disponibilizada para o projeto uma área de dois quilômetros no Distrito de Galante, onde serão atendidas, inicialmente, vinte crianças, que terão acesso às artes, ao esporte, e outras atividades com o acompanhamento de psicólogos, assistentes sociais e educadores.

“Trata-se, inclusive, de um projeto auto-sustentável, sendo que a colaboração da PMCG é a doação de uma área de dois hectares e todo o resto, como construção e manutenção, inclusive de pessoal, será feito mediante o emprego de recursos a serem captados pela ONG, sobretudo na União Europeia e empresas locais e nacionais”, afirmou, garantindo que o modelo a ser formatado e adotado em Campina Grande será único no Brasil.

Ele informou que a PMCG vai apresentar aos representantes da organização internacional as opções de áreas para implantação do abrigo, sendo firmado, logo em seguida, um protocolo de intenções com a fundação, o qual será também encaminhado a sua sede, na Inglaterra. Feita esta formalização, a ONG terá até dois anos para executar o projeto.

Além de Ronaldo Filho, participaram da reunião o juiz Horário Melo (presidente da Associação dos Magistrados da Paraíba); juiz Max Nunes de França (juiz auxiliar da Infância e Juventude); presidente da Associação Comercial e Empresarial de Campina Grande, Álvaro Barros; secretário de Desenvolvimento Econômico, Luiz Alberto Leite; Jadcely Vieira (professora do Departamento de Psicologia da UEPB); empresários Alexandre Moura e Marcos Procópio.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO