Coordenador do São João lamenta cortes e ressalta bom senso administrativo

temir_marcos_alfredo_catarina_programacao_sao_joaoO Coordenador geral d’O Maior São João do Mundo, Temistócles Cabral, declarou, nesta quinta-feira, 11, que a decisão da Prefeitura Municipal de fazer ajustes na programação e promover alguns cortes de atrações previstas para o Parque do Povo, foi tomada “com uma inevitável dor no coração, mas com o senso de responsabilidade administrativa”, diante da insensibilidade do Governo do Estado de não apoiar a verdadeira indústria na qual se transformou o evento de mais de três décadas. Temi destaca que a dimensão da festa, sua riqueza cultural e respeito às melhores tradições regionais, superam qualquer alteração que se faça necessária na grade de programação.

“Lamentamos profundamente não poder viabilizar as atrações, muito especialmente de Zé Ramalho, que é um ícone musical do Nordeste mas, infelizmente, tivemos de fazer ajustes diante da decisão do governo do Estado de dar, mais uma vez, as costas a Campina e a seu povo”,  registrou Temi Cabral.

Temi ressalta que a Prefeitura ainda tentou, com apoio de parceiros privados, viabilizar Zé Ramalho em outro dia da programação, mas como houve cancelamento de um show do cantor no mesmo dia, na Bahia, os custos para a contratação do artista ficaram extremamente altos. Por outro lado, também não foi possível viabilizar a atração via Ministério do Turismo, uma vez que o cantor não está cadastrado na pasta.

O coordenador geral do evento faz ainda uma observação que considera importante. Segundo ele, em nenhum momento houve contato da parte dele com a produção do cantor Zé Ramalho. Todas as conversações foram feitas com a empresa Luan Produções, do empresário Luiz Augusto, com sede em Recife.

Críticas – Temístocles Cabral lembrou, na entrevista, que o Governo de Pernambuco, mesmo cortando 50% do investimento, está assegurando R$ 8 milhões para os festejos juninos, com a parcela maior destinada ao evento de Caruaru.

“Na Paraíba, um evento como O Maior São João do Mundo, que impulsiona a economia da cidade e gera divisas para o Estado, é tratado com desprezo pelo governador, que só demonstra atenção nos festejos juninos de Campina Grande em ano eleitoral, como foi o caso do “Circuito do Forró”, no ano passado”, lembra Temi Cabral.

Apesar da polêmica em torno dos cortes na programação, o coordenador geral do São João de Campina Grande está satisfeito com os bons resultados alcançados até o momento pelo evento, principalmente porque a cidade está envolvida com a realização da festa, que demonstra sua força com as múltiplas manifestações culturais da região em cada recanto do município, nas zonas urbana e rural.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO