Equipe do Iphan realiza última visita a Campina para registro da Feira Central como Patrimônio Cultural do Brasil

Um dos mais importantes símbolos da história de Campina Grande, a Feira Central está próxima de se tornar um Patrimônio Cultural do Brasil. O projeto, defendido pelo prefeito Romero Rodrigues, em agosto passado, à presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, está na reta final e deve receber um parecer definitivo ainda este mês, durante a próxima reunião do conselho consultivo do Instituto.

Para isso, no próximo sábado, 16, técnicos do Iphan de Brasília e da superintendência do órgão na Paraíba, acompanhados do consultor Ulpiano Toledo Bezerra, doutor em arqueologia clássica pela Universidade de Sorbonne, realizarão uma visita técnica a Feira Central, cumprindo assim a última etapa do processo de registro.

Segundo a professora Giovanna Aquino, coordenadora do Inventário Nacional de Referências Culturais da Feira Central e responsável pelo projeto, o objetivo da visita é a verificação do que foi produzido e apresentado pela pesquisa que integra o processo para reconhecimento do patrimônio.

“Além da constatação daquilo que foi apresentado, ao percorrer a Feira Central, a equipe poderá perceber outros valores não observados durante a pesquisa, especialmente o consultor Ulpiano, que poderá agregar valor aos argumentos que serão feitos por ele na ocasião de defesa da feira ao título de Patrimônio Cultural do Brasil, já que será o relator do processo na reunião do conselho”, ressaltou.

Ainda durante a visita técnica, o grupo também vai acompanhar, a partir das 10h, uma série de manifestações culturais que serão realizadas na área do mercado.  Entre elas, uma encenação das crianças do projeto “Tamanquinhos das Artes”, além de apresentações de violeiros, cordelistas, emboladores de coco, da Companhia Mambembe de Teatro Major Palito e do grupo de capoeira “Angola Berimbau Viola”.

O projeto – Retomado em 2013 pela gestão do prefeito Romero Rodrigues, o projeto para reconhecimento da Feira Central como patrimônio cultural do Brasil já passou por diversas etapas, entre elas a realização do inventário cultural e a produção de um documentário enfatizando as tradições e aspectos históricos do local.

“A feira de Campina Grande tem características que lhe qualificam para o título já conhecidas e reconhecidas pelos campinenses e por todos aqueles que defendem os valores históricos e culturais deste lugar. Além disso, o fato da formação da cidade estar associada à feira e esta continuar existindo, resistindo a todos os impactos da modernidade, é algo que denota sua importância”, acrescentou Giovanna.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO