Explosões no Complexo Aluízio Campos são monitoradas por sismógrafos e estão dentro dos limites

A Prefeitura Municipal de Campina Grande tem avançado com as obras do Complexo Aluízio Campos e, para nivelar alguns pontos e deixar o terreno adequado para receber a infraestrutura necessária para a urbanização do local, a Construtora Rocha, responsável pela execução do projeto, está realizando algumas explosões, por meio de uma empresa especializada e devidamente licenciada para esse tipo de serviço, a Desmontec.

Para esclarecer a população que mora na vizinhança sobre esta etapa da construção, a Prefeitura tem emitido avisos antes das explosões e consultou o corpo técnico responsável para explicar algumas partes do processo e seu monitoramento.

Segundo a Desmontec, empresa responsável pelas detonações com explosivos na obra, mediante apresentação do plano específico, os serviços de desmonte foram autorizados pelo exército, que é o órgão responsável pela fiscalização, através da Autorização Especial n. 5865/2015.

“Ainda assim, todas as explosões realizadas no local são monitoradas através de sismografia e, até então, todos os resultados foram satisfatórios, isto é, não ocorreram vibrações nos locais monitorados que causassem danos às estruturas físicas próximas”, destacou o Engenheiro de Minas da empresa, Luís Eduardo Chaves.

Todos os serviços de desmonte de rocha executados pela Desmontec obedecem às normas de segurança vigentes, como: isolamento da área, comunicação à população circunvizinha, detonações no período diurno, etc.

Robélio Silva, técnico de segurança do trabalho que atua na construção do Complexo Aluízio Campos, acompanha todo o processo das explosões e garantiu que a onda de choque gerada em cada uma delas está dentro dos limites.

“Caso houvesse algum risco, as primeiras casas a serem afetadas seriam as do próprio Complexo Habitacional Aluízio Campos, o que não está ocorrendo”, destacou ele.

Preocupada em apurar a situação das casas da rua citada em recente denúncia feita por uma rádio local, a Prefeitura Municipal de Campina Grande, por meio da Secretaria de Obras do município, já notificou a empresa responsável para apresentar os relatórios dos sismógrafos.

Segundo o secretário de obras do município, André Agra, qualquer explosão que é realizada no Aluízio Campos é rigorosamente monitorada, para não causar nenhum dano às construções próximas.

“Sempre nos é apresentado um plano da empresa especializada no uso de detonação de dinamites, com todos os parâmetros e cuidados necessários. Então, estamos agindo com muito planejamento e responsabilidade, inclusive para não corrermos o risco de danificar as casas já construídas no Aluízio Campos. Além disso, temos o devido cuidado também com a rede de distribuição da Chesf, que fica próxima ao Complexo e que não pode sofrer nenhum tipo de abalo. Por isso, instalamos sismógrafos e estamos acompanhando rigorosamente todas as detonações”, explicou André Agra.

A Prefeitura também solicitou à Defesa Civil um laudo técnico com base em vistorias nas residências próximas ao Aluízio Campos e a construtora já se prontificou a corrigir algum dano que tenha sido causado, desde que seja realmente comprovado através das vistorias.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO