Ministério da Saúde habilita serviços de saúde mental de Campina Grande

ara garantir a qualidade do atendimento aos usuários da rede de saúde mental de Campina Grande, Prefeitura está ampliando o acesso da população a estes serviços. Um dos objetivos dessa estratégia é a reestruturação das unidades especializadas neste tipo de atendimento na cidade. Esta semana, a Secretaria Municipal de Saúde conseguiu finalizar o processo de habilitação dos vinte leitos de internação de saúde mental do Hospital Municipal Dr. Edgley Maciel e as seis Residências Terapêuticas do município, junto Ministério da Saúde.

Com a habilitação dos serviços de saúde mental, a Prefeitura passa a receber incentivos federais para custeio das ações. O serviço hospitalar de referência para atenção às pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas do Dr. Edgley terá repasse mensal de R$112.200. Já para manutenção das seis Residências Terapêuticas, por mês, o município receberá aproximadamente R$50 mil.

O Hospital Dr. Edgley Maciel é o primeiro da Paraíba a conseguir a habilitação de leitos para internação em saúde mental. O serviço recebe pacientes em surto psicótico, como também os casos de overdose de usuários de álcool e outras drogas para desintoxicação, por até trinta dias. Após terem seus quadros clínicos estabilizados, os usuários são encaminhados para tratamento e acompanhamento nos Centros de Atenção Psicossociais – Caps.

As Residências Terapêuticas são locais onde vivem os pacientes que perderam o vínculo com as famílias ou aqueles com histórico de longas internações psiquiátricas. Além das residências, o município conta também com um Centro de Convivência Terapêutica para atendimento aos adultos com transtornos mentais leves e crônicos e dependentes de álcool e outras drogas.

Segundo a secretária municipal de saúde, Luzia Pinto, o próximo passo agora é a habilitação do CAPS AD III, implantado em 2013 e que realiza atendimentos para adolescentes usuários de crack e outras drogas. “São processos importantes, pois garantem recursos para financiar os serviços, que vinham sendo custeados apenas pela Prefeitura”, explicou.

Estrutura – Atualmente, a Rede de Saúde Mental do município atende cerca de 7.500 usuários e seus familiares. Além dos leitos para internação no Hospital Dr. Edgley e das Residências Terapêuticas, a o município conta ainda com oito CAPS e o Centro de Convivência.

Combate às drogas – Em maio de 2013, a Prefeitura de Campina Grande fez adesão ao Programa “Crack, é possível vencer”, que prevê investimentos no fortalecimento à segurança pública, saúde e assistência social, voltados ao tratamento de dependentes químicos. Desde julho deste ano, a Secretaria Municipal de Saúde vem realizando fóruns de discussão sobre o enfrentamento às drogas, em parceria com a Secretaria de Assistência Social – Semas e o Ministério Público Estadual.

Os encontros têm a finalidade de capacitar os profissionais que trabalham diretamente com os usuários de drogas. A próxima reunião irá acontecer no dia 23 (quarta-feira) na SAB da Palmeira, a partir das 13h.

Fonte: Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO