PMCG aumenta rede de prevenção ao câncer de mama

Com um ano da municipalização do Hospital Pedro I, os serviços de consultas e exames voltados para o diagnóstico do câncer aumentaram significativamente em Campina Grande. Até julho de 2014, já foram realizadas 11.974 mamografias, enquanto que em todo o ano de 2012 foram 13.663 exames e em 2013, primeiro ano da gestão do prefeito Romero Rodrigues, o número já havia aumentado para 17.225. Com a campanha “Outubro Rosa” deste ano, a meta é aumentar principalmente os diagnósticos dos casos de câncer de mama, que têm maior chance de cura quando são percebidos no início.

Em 2014, já foram diagnosticados, até o fim de agosto, 1.106 novos casos de tumores malignos, sendo 136 de câncer de mama, o que corresponde a 12,3% de todos os tumores. Em 2013, foram diagnosticados 453 novos casos da doença, de modo que, proporcionalmente, em 2014 são menos casos, o que é um reflexo das estratégias da Secretaria de Saúde do Município.

“A campanha do ‘Outubro Rosa’ foi ampliada. Este ano, estamos com um ônibus itinerante levando exames e consultas aos bairros. Além disso, ampliamos os exames e consultas na rede básica, oferecendo inclusive em terceiro turno os serviços, e aumentando o contato das pessoas com mastologistas que atendem nas Unidades Básicas de Saúde e Centros de Saúde”, explicou a secretária de Saúde do Município, Lúcia Derks.

As ultrassonografias mamárias aumentaram de 2.480 em 2012 para 2.827 em 2013 e até julho de 2014 já eram 1.833. “Este avanço está sendo possível principalmente por causa da municipalização do Pedro I, que seria fechado e foi incorporado pela Prefeitura Municipal, que, além de manter o hospital aberto, aumentou sua capacidade assistencial, com dois mamógrafos novos que realizam exames em três turnos diariamente”, explicou a secretária.

As cirurgias oncológicas passaram de 72 (2012) para 105 (2013) e até julho de 2014 foram feitos 59 procedimentos. Apesar da queda no número de casos e da maior facilidade e acesso aos serviços de prevenção, as mulheres devem ficar atentas porque em 2013 foram registradas 33 mortes e até agosto deste ano foram 22 mortes.

Por isso, durante todo o mês, a campanha está levando atendimento de forma mais intensa ainda para as UBS, com foco nas mulheres que têm mais de 40 anos e que nunca fizeram nenhum exame clínico de mama. Os exames de rastreio e diagnósticos, que já passam de dois mil marcados, entre mamografias e ultrassonografias mamárias, somente em outubro, são realizados pela rede ou clínicas e hospitais conveniados com o SUS na cidade.

ALERTA – Apesar de o câncer de mama atingir fundamentalmente as mulheres, em 2014 um homem morreu vítima da doença em Campina Grande. Este acontecimento é raro. Menos de 1% do total das vítimas é do sexo masculino, mas o homem também precisa se cuidar e ao primeiro sinal de desconforto no peito ou mama aumentada procurar a UBS para ser encaminhado a uma mamografia ou ultrassom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO