PMCG intensifica ações na zona rural em 2015

seagri_trator_janeiroA Secretaria de Agricultura da Prefeitura de Campina Grande está intensificando o trabalho na zona rural dos distritos neste início de ano, com várias ações voltadas para o homem do campo. O trabalho, na verdade, é contínuo, segundo o secretário Fábio Agra Medeiros, que no início dessa semana fez mais uma visita ao Sítio Brito II, em Galante, para inspecionar a limpeza de barreiros, que vem sendo feita com vistas ao período chuvoso.

“O desassoreamento desses barreiros é importante porque aumenta a capacidade de acúmulo de água em aproximadamente 40% e o material retirado serve para recuperação de estradas vicinais. Desta forma, as comunidades rurais terão água para trabalhar o ano todo e condições de gerar mais renda para toda a família”, explicou o secretário. A meta em 2015 é dobrar o número de barreiros atendidos, chegando a 200.

O trabalho na zona rural poderia ser bem mais rápido se não fosse um entrave judicial, segundo Fábio Medeiros. Ocorre que a aquisição de um trator de esteira D6 ainda não foi feita porque a empresa que perdeu a licitação criou o impasse. Esse trator é fruto de uma emenda parlamentar do prefeito Romero Rodrigues quando deputado federal.

A máquina pode triplicar a quantidade de barreiros limpos e estradas recuperadas, além de propiciar a construção de novos barreiros e outros benefícios. “Esse trator dá essa condição, pois no momento as duas retroescavadeiras que dispomos não são suficientes para atender à demanda”, disse Fábio.

As principais vias de acesso aos distritos estão totalmente recuperadas, num total de mais de 300 quilômetros de estradas atendidas, somente em 2014. Agora, a atenção está voltada para as vias secundárias e terciárias. No momento, os trabalhos acontecem nas comunidades Brito II e Amorim, em Galante, onde mais de 8 quilômetros serão recuperados.

“A recuperação das estradas é de fundamental importância porque facilita a vida das comunidades no transporte da produção agropecuária, dos insumos agrícolas, da água através dos caminhões-pipa, acesso das ambulâncias, dos ônibus escolares e de passageiros, além de diminuir o dinheiro gasto com manutenção dos veículos. Há cerca de três anos a realidade não era essa”, pontuou o secretário de Agricultura.

Os investimentos se estendem também para a construção de cisternas. A Secretaria de Agricultura concluiu 332 em 2013 e, até abril, mais 300 serão entregues às comunidades rurais. Em média, cada comunidade rural recebe de oito a dez cisternas, contemplando os distritos de Galante, São José da Mata e Catolé de Boa Vista com 100 cisternas, cada um. Cada cisterna tem capacidade para até 16 mil litros de água, provenientes de chuvas ou abastecimento por caminhão-pipa, e, cheias, garantem água para consumo humano a uma família de cinco pessoas durante aproximadamente cinco meses.

O trabalho com as cisternas é resultado de um convênio com a Funasa e a PMCG faz a contrapartida com assistência técnica, fiscalização, abastecimento com caminhão-pipa e manutenção. De acordo com Fábio Agra, orientação do prefeito Romero Rodrigues é trabalhar para, ao final de 2016, atingir a meta de 1000 cisternas concluídas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO