PMCG patrocina lançamento de livros sobre a feira Central

Comvite EXTERNOA Prefeitura Municipal de Campina Grande (PMCG), através da Secretaria de Planejamento (Seplan), está patrocinando a reedição, revisada e redesenhada, do livro “A feira de Campina Grande”, lançado em 2007, e a nova obra “Cores da Feira”, ambos produzidos pelo fotógrafo Roberto Coura.

O evento de lançamento dos livros, que faz parte das comemorações pelos 150 anos de emancipação política de Campina Grande, acontece nesta quinta-feira (18), às 20hs, no Museu de Arte Popular da Paraíba, conhecido também como de Museu dos Três Pandeiros, às margens do Açude Velho. Convie INTERNO

“A feira de Campina Grande” é um ensaio fotográfico realizado e premiado em 1978, todo em preto e branco, da feira livre campinense, reduto tradicional de comerciantes, vendedores ambulantes, cantadores, poetas e demais figuras populares. Já “Cores da Feira”, como o próprio nome indica, é todo produzido com fotos coloridas feitas neste ano de 2014.

Comparando as duas obras, é possível perceber as mudanças na feira central, o que revela também o processo de urbanização e desenvolvimento de Campina Grande, mas, sobretudo, a vitalidade da feira e de sua gente. O lançamento dos livros se torna ainda mais relevante, pois a feira está passando por um amplo processo de requalificação, promovido pela PMCG, cujas obras começam nesta quarta-feira (17).

Inclusive, Coura fará também o registro fotográfico das obras de requalificação para lançar um novo livro, fechando assim uma trilogia sobre a Feira Central de Campina Grande, quando da conclusão das obras. O secretário de Planejamento, Márcio Caniello, que escreve a apresentação dos dois livros, falou sobre a importância das obras para a história de Campina.

“As obras de Roberto Coura são ensaios fotográficos belíssimos e captam a realidade da Feira Central num lapso temporal de 36 anos, revelando mudanças e permanências. Sua publicação, por si só, já seria uma grande homenagem à Campina sesquicentenária. Contudo, estamos promovendo uma grande transformação na feira com o projeto de requalificação e, assim, estes registros são fundamentais para a preservação da memória coletiva do maior patrimônio histórico-cultural do povo de Campina”, afirmou o gestor.

Já Roberto Coura destacou a importância afetiva dos livros para o povo de Campina Grande. “A feira é um universo no qual a cultura nordestina transborda. É necessário que preservemos a memória deste local, para que as pessoas possam ter acesso a um documento histórico sobre o que é parte integrante da formação da cidade”, explicou o fotógrafo.

Roberto Coura nasceu em Campina Grande, em 1954. Na infância, a sua diversão preferida era desenhar e pintar. Aos 13 anos, ingressou na Escolinha de Artes do professor Jorge Miranda. Aos 15 anos, passou a frequentar o Museu de Arte Assis Chateaubriand. Em seguida, descobriu a fotografia em 1972, direcionando seu trabalho para uma visão sócio-antropológica da captura de imagens. É graduado em Desenho Industrial e professor aposentado pelo Departamento de Arquitetura da Universidade Federal da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO