PMCG promove campanha de prevenção à dengue e chikungunya

A partir da próxima semana, a Secretaria Municipal de Saúde de Campina Grande vai realizar uma campanha de prevenção à dengue e à febre chikungunya – novo tipo da doença. As atividades começam na segunda-feira, 1º de dezembro, com ações educativas em escolas, Sociedades de Amigos de Bairros – SABs e Clube de Mães. Durante a mobilização, os agentes de combate às endemias farão demonstrações de como fazer limpeza de reservatórios para evitar a proliferação dos mosquitos transmissores da dengue e da chikungunya.

A campanha segue até o sábado, 06, “Dia D” da mobilização, quando será realizado um trabalho de prevenção, orientação e limpeza na Feira Central de Campina Grande. “A feira é um local movimentado e que merece essa atenção porque em alguns pontos se torna ambiente propício para o mosquito se alojar. Além disso, vamos atingir muitas pessoas com as orientações, já que é um espaço de muita circulação”, disse a gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses do Município, Rossandra Oliveira.

De acordo com a gerente, o último Levantamento de Índice Rápido por Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) feito na cidade apontou uma queda de 4,0% para 2,9%, baixando de alto para médio o risco de transmissão da doença. “Apesar disso, é necessário que as pessoas ajudem porque, nesse levantamento, 87% dos sete mil imóveis vistoriados tinham focos do mosquito dentro de caixas d’água, tambores e tanques”, alertou.

Outra preocupação é porque nesta primeira semana de dezembro se inicia o racionamento de água na região. A medida deverá provocar o aumento do uso de reservatórios, baldes, toneis e cisternas, para armazenamento d’água nas residências. A Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente – Sesuma também vai agir em parceria durante a campanha fazendo a limpeza de terrenos e ruas para diminuir as chances dos focos da doença.

Chikungunya – Em relação à chikungunya, a gerente de Vigilância Ambiental explicou que trinta profissionais da Secretaria Municipal de Saúde foram capacitados para fazer o trabalho de prevenção ao novo tipo da dengue. Apesar de menos letal, a febre incomoda os pacientes pelas fortes dores nas articulações e pode deixar o paciente infectado por até um ano. A doença é transmitida pelo Aedes aegypti e pelo mosquito Aedes albopictus.

Na Paraíba, apesar de ainda não haver registros de casos de chikungunya, a presença do Aedes albopictus foi constatada em 89 municípios. Desde que chegou ao Brasil, em setembro deste ano, 828 pessoas já foram diagnosticadas com a doença, de acordo com o Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO