Prefeitura executa primeira etapa da revitalização da Feira Central de Campina Grande

Reforma_Feira_CentralJá estão bem avançadas as obras de execução da primeira etapa do projeto de requalificação da Feira Central de Campina Grande. O projeto foi elaborado pela equipe de arquitetos, engenheiros e designers da Secretaria de Planejamento (Seplan), sob responsabilidade do secretário Márcio Caniello. A primeira fase do projeto, orçada em R$ 7,5 milhões, abrange a construção de 450 pontos comerciais que abrigarão os feirantes, na medida em que os trabalhos de reforma forem acontecendo.

Para que os serviços de revitalização desse importante patrimônio histórico-cultural de Campina Grande causassem o mínimo transtorno possível, forem divididos em cinco etapas: implantação de novo espaço; mercado central; largo do “pau do meio” (onde funciona a feira de peixe); feira de ruas e estacionamentos, devendo esta última ser desenvolvida por meio de uma PPP – parceria  público privada – que inclui a restauração do El Dourado e de outras edificações históricas.
Conforme assegurou  o secretário, os serviços desta primeira etapa começaram em dezembro do ano passado e se não acontecer qualquer contratempo, serão concluídos já em dezembro de 2015. Para a garantia do esquecimento do projeto, já existem recursos assegurados da ordem de R$ 11 milhões, oriundos do governo federal com contrapartida da Prefeitura Municipal de Campina Grande.

A formatação do  projeto de requalificação da Feira Central, explicou Canniello, foi possível após intenso processo democrático, no qual os feirantes deram sugestões e expuseram seus anseios, no que se refere à obra. Para tanto, foram realizadas plenárias, oficina de projeto participativo dentro do Mercado Central, reuniões com comerciantes de setores específicos da feira, além de audiências no Ministério Público e na Câmara Municipal, com ampla participação dos feirantes.
Durante os encontros se discutiu a melhor maneira de elaborar um projeto que propiciasse a adequação do espaço às normas de acessibilidade, mobilidade, conforto, segurança e salubridade, preservando as características históricas, culturais e patrimoniais da feira, garantindo-se, ainda,  uma execução que não interrompesse as atividades comerciais na área, providência essencial  para que os comerciantes garantissem o sustento de suas famílias, em consonância com o cronograma dos trabalhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO