Prefeitura inicia combate de Aedes aegypti em casas fechadas

combate_dengue_caasa_fechadaA Prefeitura Municipal de Campina Grande iniciou nesta segunda-feira, 21, o trabalho de combate dos focos do mosquito Aedes aegypti nas casas fechadas em que os Agentes de Combate às Endemias não tinham acesso. O trabalho começou pelo bairro José Pinheiro, que apresenta um alto índice de infestação do mosquito. Nesta segunda, foram vistoriadas nove residências vulneráveis com abrigos para proliferação. Na terça-feira, 22, mais nove casas do bairro terão a intervenção dos agentes da Secretaria de Saúde.

“Foi possível encontrar várias larvas em recipientes e até cisternas abandonados. Fizemos o trabalho de eliminação dos focos e de conscientização das pessoas que moram nos locais próximos”, disse a Coordenadora de Vigilância Ambiental e Zoonoses do município, Rossandra Oliveira.

Os donos das casas que foram invadidas para possibilitar o trabalho dos agentes foram notificados 48 horas antes por meio de comunicado colocado nas portas. “Tivemos todo o cuidado e nos cercamos de todos os dispositivos legais para não ter nenhum problema de ordem judicial. Inclusive, estamos fechando todas as residências com correntes e cadeados após a limpeza”, disse Rossandra.

combate_dengue_caasa_fechada_1Uma equipe de cinco profissionais foi treinada para fazer as intervenções. São três agentes operadores, um técnico e um educativo. Eles recebem o apoio da Polícia Militar. “Colocamos poucos agentes nesta atividade para facilitar a localização da equipe. É bom que se diga que não está sendo feito nada de forma aleatória. Nós catalogamos 957 casas em situação de abandono ou de recusa do morador para o trabalho de combate ao mosquito e encaminhamos para o Ministério Público e à Procuradoria Geral do Município até conseguir a autorização judicial que permite a entrada nesses locais. Novamente enfatizo que nossos agentes já visitaram várias vezes estes imóveis até que tivéssemos esta medida extrema”, pontuou Rossandra.

Na quarta-feira, 23, o trabalho segue no bairro do Monte Castelo. Os Agentes devem trabalhar normalmente neste período de fim de ano para diminuir o índice de infestação do transmissor da dengue, da Chikungunya e da Zyka, principal responsável pelo surto de microcefalia pelo qual o país passa.

Desde o início do ano já foram realizadas quase 5 mil visitas de agentes em pontos estratégicos para o combate ao mosquito, além do recolhimento de quase 8 mil pneus e da distribuição de mais de 800 peixes para serem colocados em cisternas. “Estamos vivendo um momento de emergência em saúde e, por isso, estamos intensificando estas ações”, finalizou.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO