Prefeitura mantém investimentos em saúde e inicia 2016 com ampliação no atendimento

atendimento_upaA Prefeitura de Campina Grande manterá neste ano os investimentos em saúde que permitem ampliar o acesso da população aos serviços oferecidos no município. Já estão em fase de conclusão as obras do Pedro I Especialidades, um novo serviço ambulatorial que funcionará no anexo do Hospital Pedro I, e também da Policlínica da Zona Leste. Com a finalização desses dois serviços serão realizados cerca de 10 mil procedimentos especializados por mês. No Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), serão inauguradas a sede própria da Casa da Gestante, reforma e ampliação da recepção, Centro de Parto Normal e a nova estrutura da UTI Neonatal.

A secretária municipal de saúde, Luzia Pinto, ressaltou que a ampliação dos serviços está sendo possível porque o prefeito Romero Rodrigues tem investido recursos da própria Prefeitura Municipal na área da saúde. “Temos um gestor comprometido com a saúde da nossa população, prova disso é que Romero vai terminar mais um ano investindo cerca de 25% da arrecadação do município na saúde, quando o Lei obriga o repasse mínimo de 15% dos recursos para custeio das ações de saúde”, comemorou a secretária.

Outros serviços, como a UPA do Dinamérica, o Centro de Reabilitação em Saúde do Trabalhador, as bases descentralizadas do SAMU 192 em Galante e São José da Mata também serão entregues à população até o primeiro semestre deste ano. Ainda estão previstas a conclusão de três novas Unidades Básicas de Saúde e uma Academia da Saúde.

Os investimentos no setor da saúde são resultado de uma política de atenção à população campinense, que vem ocorrendo desde o início da gestão Romero Rodrigues. Nos últimos anos, a Prefeitura de Campina Grande conseguiu ampliar ainda mais o acesso da população campinense aos serviços de saúde. Para se ter uma ideia, além de novas unidades de atendimento, no ano passado também foram criados programas voltados para facilitar o agendamento de exames e consultas, assim como para incentivar a interação da comunidade nas ações de saúde preventiva. 2015 foi ainda um ano marcado pela qualificação e habilitação de serviços municipais de saúde mental e de urgência e emergência da cidade.

Na rede de Atenção à Saúde, a Prefeitura ampliou o horário de atendimento em algumas unidades, objetivando receber, principalmente, as pessoas que trabalham no turno da noite. Em 2015 também foi implantada a realização de consultas especializadas, de forma itinerante, nos Centros de Saúde e Policlínicas. Com isso os usuários não precisam mais se deslocar para o centro da cidade para realizar consultas com cardiologista, urologista, endocrinologista e otorrino. Esses especialistas se revezam nos atendimentos nas comunidades, evitando filas e superlotação nos hospitais.

No ano passado, a Prefeitura também deu continuidade ao programa de reforma e ampliação de unidades básicas. Por conta disso, mais de 20 prédios sofreram intervenções. Um deles foi a Unidade Básica de Saúde (UBS) Nely Maia, no São Januário, que foi reformada e ampliada. No Conjunto Ronaldo Cunha Lima foi inaugurada uma unidade com porte para três equipes de saúde da família. É a maior UBS da cidade, construída dentro dos padrões exigidos pelo Ministério da Saúde e que possui capacidade para atender oito mil pessoas por mês.

Retrospectiva 2015 – Para facilitar o acesso das mulheres aos exames de mamografia, a Prefeitura lançou, na campanha Outubro Rosa do ano passado, o Programa Mulher de Peito, que disponibiliza o número (83) 3315 – 5111 para agendamento de mamografias, sem precisar de requisição médica. O objetivo do Mulher de Peito,  programa voltado às mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos, é detectar e tratar precocemente o câncer de mama. Nos primeiros meses de funcionamento do programa, que é permanente, mais de 300 mulheres foram atendidas e realizaram suas mamografias.

Também em 2015 a Prefeitura iniciou a realização do teste rápido de Tuberculose. O resultado do exame, que antes poderia demorar até 48h para ser entregue, agora é feito em 2h. Outra novidade foi o teste rápido de HIV, feito através da saliva, que também passou a ser oferecido na rede municipal de saúde no ano passado. O novo exame está sendo levado às comunidades através de um serviço móvel, que ainda oferece exames de Hepatites e Sífilis para a população.

Saúde Mental – A Secretaria Municipal de Saúde conseguiu habilitar no ano passado, junto ao Ministério da Saúde, os vinte leitos de internação de saúde mental do Hospital Municipal Dr. Edgley Maciel, as seis Residências Terapêuticas do município e o CAPS AD III, que atende crianças e adolescentes usuários de crack, álcool e outras drogas. Com a habilitação dos serviços de saúde mental, a Prefeitura receberá mais incentivos federais para custeio das ações.

O Hospital Dr. Edgley Maciel foi o primeiro hospital geral público, da Paraíba, a conseguir a habilitação de leitos para internação em saúde mental. O serviço recebe pacientes em surto psicótico, como também os casos de overdose de usuários de álcool e outras drogas para desintoxicação, por até trinta dias.

Qualificação da UPA – Outro serviço que em 2015 passou por avaliação do Governo Federal foi a UPA 24h, localizada do bairro do Alto Branco. Após passar por reformas e ampliação, comprovar melhorias nos processos de atendimento, rotinas e fluxos de trabalho dos profissionais do serviço, a unidade de urgência e emergência recebeu a qualificação do Ministério da Saúde. Com essa qualificação, a UPA passou a receber um incremento de R$ 250 mil para custeio das atividades realizadas.

Microcefalia – A Prefeitura de Campina Grande saiu na frente no enfrentamento ao surto de casos de microcefalia, por meio da realização de exames que comprovaram a relação entre a doença e o Zika vírus. Logo após a confirmação da presença do vírus no líquido amniótico de bebês com a malformação congênita, o prefeito Romero Rodrigues determinou a criação imediata de um ambulatório para dar assistência às gestantes e às crianças que estão nascendo com o problema. O novo serviço atende não apenas as usuárias campinenses, mas também dos municípios referenciados.

O ambulatório especializado em microcefalia foi instalado no Hospital Municipal Pedro I e atende as gestantes que apresentaram sintomas de Zika vírus durante a gestação para investigar se os bebês desenvolveram a microcefalia. O serviço de referência conta com equipe formada por obstetra, neuropediatra, enfermeira e psicóloga. As crianças com microcefalia também passaram a ser acompanhadas pelos profissionais do ambulatório.

Guerra ao mosquito – Devido à comprovação da relação do Zika vírus com os casos de microcefalia, a Prefeitura intensificou o combate ao mosquito Aedes aegytpi, transmissor da dengue, zika e chikungunya. A Secretaria de Saúde colocou dois carros, do tipo fumacê, para circular na cidade e fez mutirões nos bairros com maior incidência de focos do mosquito. Além destas ações, a Procuradoria Geral do Município conseguiu autorização da Justiça para que os Agentes de Combate às Endemias pudessem entrar em imóveis abandonados e terrenos sem acesso.

Denguezapp – Outra alternativa, utilizada pela Prefeitura na guerra ao Aedes aegytpi, foi a disponibilização de um número específico (83 – 9991 0553) para receber denúncias e pedidos de vistoria nas residências pelo Whatsapp. A ideia, que ficou conhecida como Denguezapp, tem o objetivo de facilitar o envio de fotos e vídeos de terrenos baldios ou casas abandonadas que possam conter focos do mosquito. O usuário do serviço também pode tirar dúvidas sobre a doença e solicitar a visita dos agentes de endemias.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO