Presidente do IPSEM destaca esforço do governo municipal em reabrir Shopping Popular

Antonio_HermanoA Prefeitura Municipal de Campina Grande está envidando todos os esforços no sentido de reabrir o prédio do Shopping Popular Edson Diniz, interditado esta semana pelo Corpo de Bombeiros. Os 336 comerciantes ali instalados justificam que precisam manter o sustento das suas famílias. A interdição foi gerada pela necessidade de reforma da parte elétrica, evitando-se o risco de incêndios e outros problemas.

Segundo o presidente do Instituto de Previdência do Servidor Municipal (Ipsem), Antônio Hermano de Oliveira, a proposta inicial do governo do município é viabilizar os serviços necessários, porém mantendo em funcionamento o Shopping Popular. “Para tanto, temos como proposta ou sugestão que o local funcione das 8h às 13h, pois o período da tarde ficará destinado aos serviços de reforma”, afirmou.

Conforme esclareceu, a proposta consta de um ofício encaminhado ao comando do Corpo de Bombeiros, devendo a PMCG receber a resposta até esta quinta-feira, dia 28. “De fato, o prefeito Romero Rodrigues está negociando com o Corpo de Bombeiros a reabertura do prédio. Assim, da nossa parte, tudo voltará ao normal no menor espaço de tempo possível”, destacou.

Ele ainda informou que sensível ao problema dos comerciantes o próprio prefeito Romero Rodrigues visitou na tarde desta terça-feira, dia 26, o Shopping Popular, quando informou ter sido protocolado junto à Diretoria de Atividades Técnicas do Corpo de Bombeiros (DAT) o ofício detalhando a proposta de reforma que a gestão municipal pretende fazer no espaço.

Por outro lado, os próprios comerciantes lamentam a forma repentina que ocorreu a interdição por parte do Corpo de Bombeiros. Segundo os donos de estabelecimentos, a notificação foi dada na segunda-feira (25) e no dia seguinte interditaram. Por isso, a assessoria jurídica da Associação dos Comerciantes informou à imprensa local que vai entrar com recurso pedindo que o prazo para a regularização seja estendido em mais 120 dias.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO