Processo seletivo do Residencial Vila Nova da Rainha será após as eleições

O Conselho Gestor do Fundo Municipal de Habitação e Interesse Social (CGFMHIS) realizou na tarde desta quinta-feira (05) a sua quinta reunião ordinária. No encontro, que ocorreu no auditório do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais (Ipsem), diversos assuntos relativos aos programas habitacionais que estão sendo promovidos em Campina Grande foram discutidos.

No entanto, os principais encaminhamentos dizem respeito às obras do Residencial Vila Nova da Rainha, que está sendo construído em Bodocongó. Ficou decidido que o processo de seleção para o primeiro residencial, com 288 apartamentos, acontecerá somente após o processo eleitoral, ressaltando que as visitas serão feitas a 350 selecionados após o sorteio. Ou seja, não acontecerão visitas até o processo de seleção e quem já foi visitado não será prejudicado ou obterá qualquer vantagem dentro desse processo.

A exceção fica por conta das pessoas com deficiência ou famílias de que façam parte pessoas com deficiência. Os enquadrados nesse aspecto e que se inscreveram até 29 de agosto (cem no total) vão ser visitados com um cronograma pré-estabelecido, terão suas situações averiguadas e o conselho, em uma reunião extraordinária, a ser realizada no dia 18 de setembro, fará a aprovação da lista, da qual serão retirados os 3% que receberão apartamentos, como determina portaria do Ministério das Cidades.

O secretário de Planejamento e presidente do Conselho, Márcio Caniello, comemorou as definições sobre o Residencial Vila Nova da Rainha. “Esse Conselho deu uma contribuição muito importante para a resolução sobre a questão habitacional de mais de 300 famílias, que serão selecionadas nessa primeira etapa do Vila Nova da Rainha”, explicou o presidente.

Ainda na reunião, as funcionárias da Caixa Econômica Federal (CEF) Gertrudes Barreto e Angélica Alves explicaram os procedimentos relativos ao programa “Minha Casa, Minha Vida” naquela instituição. Também durante o encontro, foram explicadas as denúncias sobre apartamentos abandonados, vendidos ou alugados no Residencial Major Veneziano. Esclareceu-se que as denúncias são encaminhadas à CEF, órgão de direito que pode retomar os apartamentos e redistribuí-los, se for o caso.

O Conselho Gestor do Fundo Nacional de Habitação e Interesse Social tem como objetivos: viabilizar para a população de menor renda o acesso à terra urbanizada e à habitação digna e sustentável; implementar políticas de investimentos e subsídios, promovendo e viabilizando o acesso à habitação voltada à população de menor renda; articular, compatibilizar, acompanhar e apoiar a atuação das instituições e órgãos que desempenham funções no setor de habitação; e tornar mais transparentes os processos relacionados à área de moradia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO