Secretaria de Educação orienta gestores para enfrentamento do vírus H1N1 na Rede Municipal

Diante dos registros de pacientes infectados com o vírus H1N1 detectados na Paraíba nas últimas semanas, a Secretaria Municipal de Educação (Seduc) anunciou uma série de medidas para conscientizar os alunos e alunas da Rede sobre os riscos da doença e a melhor forma de preveni-la.

A Seduc também já orientou os gestores das escolas e creches a adotarem uma série de procedimentos para reforçar os hábitos de higiene pessoal e evitar a disseminação do vírus.

A primeira medida, segundo a secretária de Educação, Iolanda Barbosa, foi solicitar que seja reforçado nas unidades escolares o hábito das crianças e adolescentes de lavar as mãos com frequência, principalmente antes das refeições e após o uso do banheiro, uma das principais formas de prevenção indicadas pelos profissionais da área de Saúde.

A Seduc também está providenciando a aquisição de recipientes de álcool em gel, que serão disponibilizados a todas as 120 escolas e 35 creches da Rede Municipal de Ensino com o intuito de reforçar a higienização das mãos.

Para fortalecer o organismo das crianças e adolescentes e torná-lo mais resistente a doenças, a Seduc também determinou a reformulação do cardápio dos educandários, para que seja reforçada a oferta de alimentos com vitamina C. As medidas já foram comunicadas aos responsáveis pelas unidades escolares e estão sendo providenciadas pelos setores responsáveis.

Na próxima segunda-feira (11), também será realizada uma reunião com todos os gestores dos educandários, às 14h, no Centro de Tecnologia Educacional (CTE). Na ocasião, as recomendações serão detalhadas aos gestores em parceria com uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde.

COLABORAÇÃO

Além das medidas adotadas pela gestão municipal, a secretária Iolanda Barbosa pede a colaboração das famílias dos estudantes. Segundo ela, a Seduc vai oferecer copos descartáveis para as unidades, mas seria importante que os pais que tenham condições providenciem garrafinhas ou copos para uso individual dos estudantes.

“As crianças estão no grupo da população mais vulnerável ao vírus e, por medida de precaução e de proteção, tomamos essas medidas que visam garantir o direito delas de estarem protegidas nas creches e escolas da nossa Rede”, destacou.

A secretária também adverte aos pais e responsáveis que alunos e alunas com suspeita da doença não devem frequentar as escolas enquanto persistirem os sintomas, para evitar a disseminação do H1N1.

O VÍRUS

A gripe H1N1, ou influenza A, é provocada pelo vírus H1N1, um subtipo do influenzavírus do tipo A.

Sua transmissão ocorre através do contato direto com animais ou objetos contaminados e de pessoa para pessoa, por via aérea, partículas de saliva ou de secreções das vias respiratórias.

Os sintomas são semelhantes aos dos outros tipos de gripe, como febre, dor muscular, de cabeça, dor na garganta e nas articulações, irritação nos olhos, tosse, coriza e cansaço. Em alguns casos, também podem ocorrer vômitos e diarreia.

A melhor forma de prevenção é manter os ambientes arejados, higienizar as mãos frequentemente, utilizar lenços para tossir e espirrar, além de manter uma alimentação saudável.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO