Secretária de Saúde apresenta ações de combate ao Aedes aegypti na Câmara

Dra_luzia_cmcgCom o objetivo de discutir a situação da epidemia de zika, dengue e chikungunya em Campina Grande, a Câmara de Vereadores realizou uma sessão especial sobre o tema na manhã desta terça-feira, 05. A secretária municipal de saúde, Luzia Pinto, participou do debate na casa legislativa e apresentou as medidas que estão sendo adotadas pela Prefeitura para o enfrentamento das doenças provocadas pelo Aedes aegypti, tanto no âmbito da assistência quanto na prevenção à proliferação do mosquito.

Na sessão, Luzia Pinto explicou que o município de Campina Grande saiu na frente nas ações de enfrentamento ao surto de casos de novos padrões de microcefalia. Segundo a secretária, antes mesmo de o Governo Federal decretar estado de emergência em saúde pública no país, em decorrência do problema, a Prefeitura já havia criado um grupo de gerenciamento de crise para monitorar os casos notificados e elaborar protocolos de atendimento para a atenção básica e a rede hospitalar da cidade.

A secretária destacou que, por determinação do prefeito Romero Rodrigues, já no mês de novembro de 2015, foi criado o ambulatório especializado no Hospital Municipal Pedro I para atendimento às gestantes com sintomas de zika e aos bebês que estavam nascendo com problemas neurológicos provocados pela síndrome da zika congênita. De acordo com os dados apresentados pela gestora, desde a criação do serviço, 43 crianças estão sendo atendidas no ambulatório, que oferece acompanhamento de fisioterapia, neurologia, oftalmologia e otorrino.

Sobre as ações de prevenção à proliferação ao mosquito, a secretária informou que a Prefeitura criou uma força-tarefa para realizar mutirões de limpeza e conscientização nos bairros com maiores índices de casos notificados de dengue, zika e chikungunya. “Conseguimos unir todas as secretarias municipais no combate ao vetor, em especial, a rede municipal de ensino, que vem realizando ações periódicas nas unidades escolares. Estas atividades, somadas a outras estratégias, fez com que Campina Grande se tornasse referência para o Unicef, que enviou técnicos para conhecer nossas experiências”, comentou.

Outras estratégias da Prefeitura, voltadas para o controle do mosquito, também foram apresentadas pela secretária. Ela destacou a coleta de quase sete mil pneus (apenas nos três primeiros meses deste ano) e a intervenção dos Agentes de Combates às Endemias, por força de liminar, em cerca de 700 imóveis fechados ou abandonados do município. “Mesmo com todas as medias adotadas pela gestão, o combate ao Aedes só será eficaz se contarmos com a participação de cada pessoa, cuidando da sua casa e informando os locais com focos do mosquito, que podem receber a visita dos profissionais de saúde”, finalizou.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO