SEMAS divulga números do Disque 100 em Campina Grande

A Vigilância Socioassistencial da Secretaria da Assistência Social de Campina Grande divulgou os números de denúncias realizadas através do Disque 100 – Secretaria Nacional de Direitos Humanos. O serviço recepciona através de ligações telefônicas de forma anônima e gratuita denúncias sobre violação dos direitos humanos, violência contra a mulher, criança e adolescente e pessoa idosa.

De Março de 2017 a Janeiro de 2018, foram 372 denúncias só em Campina Grande, segundo os dados fornecido pela Vigilância Socioassistencial, uma das prerrogativas é o monitoramento de todas as unidades, sistematizando as informações territoriais, sobre as situações de vulnerabilidade e risco social. Os bairros onde foi constatado o maior número de notificações nesse período foi o bairro das Malvinas em seguida o bairro do Catolé e Três Irmãs, onde a violação mais constatada é a negligencia contra a criança e adolescente e a pessoa idosa, 55% das denúncias, as vítimas são do sexo feminino, 32% masculino e 13% não identificado.

O Disque 100 recebe denúncias e encaminham para a Vigilância Socioassistencial de Campina Grande, assim identificam o território e qual tipo de violação foi denunciado, repassando para o Centro de Referência Especializado em Assistência Social – CREAS, que atende o território onde foi feita a denúncia. De acordo com Kyara da Cunha, da vigilância, o monitoramento das denúncias e o encaminhamento para as unidades responsáveis ajuda a traçar um perfil de território, direcionando as atividades. “Todas as denúncias feitas através das ligações no ano de 2017 foram realizadas visitas aos locais, então quando acontece a visita os CREAS atestam se realmente houve uma situação de negligencia, caso comprovada, fazem os encaminhamentos, seja para UPA, delegacia ou até mesmo se precisam de acompanhamento pela unidade”, destacou Kyara.

Segundo Eva Gouveia a Secretaria da Assistência Social de Campina Grande vem realizando campanhas que combatem esse tipo de negligencia social a exemplo da campanha de exploração sexual e trabalho infantil a crianças e adolescentes em parceria com o MPT. “Lembramos que em casos de situação de negligencia e vulnerabilidade social a população pode fazer a denúncia de forma segura e anônima, a Semas através da vigilância e CREAS irão verificar e fazer o encaminhamento para que seja tomada as providencias necessárias”.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO