“Todo o lixo coletado é depositado no aterro sanitário”, afirma Geraldo Nobre

geraldo_nobreO secretário de Serviços Urbanos da Prefeitura de Campina Grande (Sesuma), Geraldo Nobre, desmentiu nesta sexta-feira, 16, que o antigo lixão do município tenha sido reativado. Nobre afirmou que são inverídicas as notícias veiculadas sobre a retomada daquela área para depósito do lixo coletado na cidade. “Todo o lixo coletado em Campina Grande é depositado no aterro sanitário de Puxinanã. Quem recebe esse lixo é a Ambiental, empresa privada, proprietária do aterro, que pode apresentar documento comprovando que a Prefeitura faz a entrega do lixo no local adequado”, declarou.

Segundo Geraldo Nobre, não existe nenhuma condição da Prefeitura de Campina Grande haver retomado o depósito de lixo no antigo terreno, localizado nas proximidades do Conjunto Mutirão. O local está fechado e foi desativado, por determinação do Ministério Público Federal, desde a gestão anterior. Entretanto, Nobre disse que o terreno onde funcionava o lixão será recuperado. A Prefeitura, atendendo determinação do próprio MPF, já encaminhou à Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), projeto destinado à recuperação ambiental do antigo terreno, cujo orçamento pode chegar aos R$ 2,5 milhões.

Conforme o procedimento das equipes da Sesuma, o lixo coletado diariamente no município é encaminhado ao aterro sanitário. No local, os caminhões coletores da Prefeitura Municipal são pesados e a empresa faz a emissão, para a Sesuma, de tíquetes, com informações sobre a quantidade de lixo entregue. Esses documentos são entregues ao Departamento de Limpeza Urbana da Sesuma. “Os tíquetes ficam sob a nossa responsabilidade e podem ser vistoriados a qualquer momento. A Sesuma possui todos os documentos comprobatórios da entrega do lixo”, declarou Geraldo Nobre.

Para o aterro sanitário de Puxinanã é encaminhado o lixo oriundo das coletas domiciliares, da varrição, feiras municipais, terrenos baldios e capinação, além do lixo hospitalar. No mesmo local, equipes especializadas fazem o tratamento do material.

Geraldo Nobre disse que o depósito irregular de lixo, feito nas proximidades do Mutirão, é semelhante ao que ocorre em outros terrenos baldios do município. “São ações esporádicas, que podem ocorrer a qualquer momento. Em Campina Grande existem cerca de mil terrenos baldios e, diariamente, é retirado lixo desses terrenos”, explicou.

DENÚNCIAS – O secretário Geraldo Nobre faz um apelo à população para que denuncie ações de irregularidade. Ele ressaltou que a Prefeitura Municipal, por meio da Sesuma, pode autuar e multar os infratores, desde que estes sejam denunciados e identificados. De acordo com o secretário, além da denúncia, é necessário identificar o infrator, por meio de anotações da placa do carro ou de fotografias, até mesmo de aparelhos celulares. Com o número da placa do carro o veículo poderá ser identificado e multado pela Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), além de o infrator ser notificado e autuado pela Sesuma.

2 comments

  1. Victória Lavinia

    Essa notícia me ajudou muito, pois,eu tenho um trabalho para fazer sobre o tratamento de lixo feito em Campina Grande (onde eu moro).Junto com outras informações que eu consegui,vou fazer meu trabalho de Ciências.

    Victória Lavinia

    Campina Grande-PB

  2. forencio fonseca

    Senhor Secretário,
    Gostaria de saber se é possivel agendar entrevista com as autoridades envolvidas com a política de resíduos sólidos em Campina Grande, a fim de atender e consolidar os dados para trabalho acadêmico. Em nome dos alunos do Curso de Gestão Pública da Universidade Metodista de São Paulo, Pólo de Campina Grande, agradecemos dede já.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO